skipToMain
Siga-nos:

João Sousa não escapa às maratonas. Mas desta vez o final foi feliz

Redação
Ténis \ terça-feira, maio 24, 2022
© Direitos reservados
Após as três horas da final de Genebra, o vimaranense precisou de mais de quatro para vencer Chun-Hsin Tseng em Roland Garros. O tenista está na segunda ronda, igualando a melhor marca no Grand Slam.

O melhor tenista luso parece talhado para as provas de resistência: depois da emocionante final com Casper Ruud no ATP 250 Genebra, João Sousa apurou-se esta terça-feira para a segunda ronda de Roland Garros, ao derrotar Hsin-Chun Tseng, número 109 do ranking mundial, ao fim de quatro horas e 22 minutos, em cinco sets (6-7, 6-1, 4-6, 6-1 e 6-4).

Incapaz de levar a melhor nos sets mais equilibrados, o atleta de Guimarães viu-se encostado para o fundo do court, obrigado a virar o resultado para seguir em frente, algo que apenas logrou no quinto e último set: com o duelo empatado 4-4, João Sousa quebrou finalmente o serviço do taiwanês e aproveitou o seu último jogo de serviço para fazer o 6-4.

Após um primeiro set sem quebras de serviço, com o número 63 do circuito a cair no tiebreak, à semelhança do que aconteceu com Ruud, o vimaranense venceu o segundo set sem dificuldades, mas falhou a reviravolta. No terceiro set, consentiu um break logo no início, com 1-1 no marcador, e não mais recuperou a diferença, vendo-se forçado a reagir no quarto set para levar o encontro à negra, algo que fez com autoridade.

Com este triunfo, João Sousa venceu pela primeira vez em Roland Garros desde 2017 e igualou a sua melhor prestação no torneio parisiense: a segunda eliminatória, previamente alcançada nas edições de 2013, 2015, 2016 e 2017. O próximo adversário é o vencedor do embate entre o italiano Lorenzo Sonego, número 35 do mundo, e o alemão Peter Gojowczyk, número 94. Neste momento, o transalpino vence por dois sets a zero.