skipToMain
Siga-nos:

Rogério Matias: apesar de “surpreendente”, a “pessoa adequada para o cargo”

Bruno José Ferreira
Futebol \ quarta-feira, maio 11, 2022
© Direitos reservados
Marco Couto dividiu o balneário do Vitória SC com o novo diretor desportivo. Conhece bem Rogério Matias e confia nas capacidades do amigo, mas alerta: “Nestas funções ninguém resolve nada sozinho”.

“Acredito que para quem não conhece o Rogério Matias seja algo surpreendente, mas para as pessoas mais próximas não o é, atendendo ao seu percurso profissional e principalmente à sua capacidade e conhecimento”. Quem o diz é Marco Couto, jogador do Vitória SC entre 2000 e 2004.

O defesa central chegou a Guimarães quando Rogério Matias também integrou o parte do plantel, em janeiro de 2020. Prosseguiu a carreira e Marco Matias continuou na cidade berço. Foram colegas de balneário, portanto, e mantiveram uma amizade longe dos relvados. Depois de terminar a carreira Marco couto foi durante doze anos diretor desportivo do Moreirense. Ou seja, conhece a realidade do Vitória SC, conhece Rogério Matias e conhece o cargo que é desde o início da semana ocupado pelo ex-jogador do Vitória SC.

Ao Jornal de Guimarães Marco Couto traça o perfil do novo diretor desportivo do Vitória SC: “O Rogério Matias é uma pessoa muito sociável, o que tornou mais fácil o convívio e o ambiente no balneário; rapidamente transportou-se para fora do mesmo e ainda hoje a amizade se mantém.  Formou-se em várias áreas, inclusive tirámos alguns cursos juntos, como por exemplo os de treinador, ainda jogávamos no Vitória SC, e o de Direção Desportiva, já depois de terminarmos a carreira de jogador”.

“O importante é adquirir conhecimento e preparamo-nos para as oportunidades: foi o que fez o Rogério Matias”

Quando jogavam no Vitória SC, há duas décadas, o cargo de diretor desportivo “não era usual”, contextualiza Marco Couto, por isso seria difícil imaginar que Rogério Matias viesse a desempenhar tais funções. Contudo, Marco Couto não tem dúvidas que o amigo se preparou para abraçar um desafio desta natureza.

“A vida às vezes leva-nos por caminhos que não planeamos o que não quer dizer que percamos o foco do que realmente queremos. O importante é adquirir conhecimento e nos preparamos para as oportunidades, foi o que fez o Rogério Matias durante este tempo. Tirou o curso de Direção Desportiva na QUEST, o de Visualização e Análise de jogo de jogadores de Futebol para Clubes e Seleções na Universidade Lusófona, e uma pós-graduação em Direção Técnica na Universidade Europeia”, aponta.

Para além da formação que Rogério Matias foi adquirindo, Marco Couto destaca também a “bagagem” e o “conhecimento” que o novo diretor desportivo do Vitória SC foi acumulando. “Tem a confiança do seu presidente, conhece a realidade do Vitória, passou seis épocas como jogador, por isso sabe o que é sentir o Vitória. Isto juntamente com o conhecimento do meio, mais as suas formações e os anos que passou como comentador que lhe deram muita bagagem, tornam o Rogério Matias a pessoa adequada para abraçar o cargo neste momento”, assume.

“Precisará da ajuda de todos”

Apesar de admitir que para quem não conhece Rogério Matias esta aposta de Miguel António Cardoso pode ser “surpreendente”, Marco Couto considera que “estão reunidas condições” para ser desenvolvido um bom trabalho, voltando a elencar os conhecimentos de Rogério Matias para contrastar com a falta de experiência no cargo. “Se ninguém apostasse em mim para diretor desportivo mal terminei a carreira de jogador nunca teria tido uma carreira de doze anos no cargo. Posso até perguntar, que experiência tinha o Hugo Viana antes de ingressar no Sporting? E o Rui Costa? É preciso é estar preparado para quando a oportunidade surgir, e disso eu não tenho dúvidas que estão reunidas todas as condições.”

Concluindo, Marco Couto acredita nas capacidades do novo diretor desportivo do Vitória, alertando, contudo, que “ninguém neste tipo de funções resolve nada sozinho” e que “é preciso tempo”, motivo pelo qual Rogério Matias precisará da "ajuda de todos" no desempenho das suas funções.

“O Rogério Matias saberá o que é necessário fazer, mas também sei que precisará da ajuda de todos. Não conheço por dentro a realidade do clube, mas conheço relativamente bem o cargo e sei que ninguém neste tipo de funções resolve nada sozinho, muito menos num clube com esta dimensão. O presidente, o diretor desportivo e restante staff ligado ao departamento de futebol, terão de estar em plena sintonia e união. Sei também que esta função requer tempo, tempo esse que no futebol nós sabemos que têm a duração de uma semana -distância de um jogo para o outro. Por isso só conheço um caminho, muito trabalho e dedicação total e disso podem estar certos de que o Rogério Matias dará ao clube”, remata Marco Couto.