skipToMain
Siga-nos:

Voleibol: segundo set escapou entre os dedos. E a discussão do jogo também

Tiago Mendes Dias
Voleibol \ sábado, maio 07, 2022
© Direitos reservados
A vencer por 16-7 no segundo parcial, o Vitória caiu novamente nos erros do set inaugural e perdeu-o por 25-20. O terceiro set, nivelado, consumou a derrota pela margem máxima frente ao Sporting.

O Vitória que se viu este sábado no Pavilhão Desportivo Unidade Vimanense, no jogo um da final da Taça Federação, perdido por 3-0 frente ao Sporting, foi como um cometa: o seu brilho apareceu repentino e repentino se apagou.

Esse intervalo em que o preto e branco do símbolo de D. Afonso Henriques ofuscaram o verde e branco lisboetas correspondeu à primeira metade do segundo set: as comandadas de Hélder Andrade retificaram os inúmeros erros do primeiro set, abraçaram o jogo com outra vivacidade e somaram pontos atrás de pontos, quer pela eficácia no remate, quer pela robustez do bloco, apoiada nos braços firmes de Florencia Giorgi, responsável por três deles.

Essa performance conduziu as vitorianos a um resultado favorável de 16-7, que viria a desfazer-se a partir daí, sem apelo nem agravo. As falhas do primeiro set reeemergiram – receções curtas para a distribuição, passes mal medidos, remates para fora ou em cheio contra o bloco leonino, sem a colocação necessária para ser refletida para fora. E assim as comandadas de Rui Costa, derrotadas pelo Vitória na meia-final da Taça de Portugal, encetaram uma reação imparável que só parou aos 25 pontos.

Depois da vitória no primeiro set por 25-15, no qual as vitorianas raramente estiveram em jogo, o Sporting fez o 2-0 com um parcial de 25-20 e embalou em definitivo para o triunfo, apesar da réplica vimaranense no terceiro e último set.

Apesar da ligeira vantagem ao início, a turma de Guimarães correu quase sempre atrás do prejuízo, embora no rasto do Sporting. O duelo assim continuou até aos 17 pontos, altura em que os serviços vitorianos começaram a ir para fora, facilitando o esforço lisboeta para dilatar a vantagem, bem sucedido face à eficácia de atletas como Vanessa Paquete e Thais Saraiva junto à rede. Um bloco a remate de Jéssica Carriel fechou o set com o registo de 25-21 e consequentemente o jogo.

O Vitória está agora sem qualquer margem de erro se quiser vencer a Taça Federação. O primeiro jogo para evitar o triunfo do Sporting realiza-se no próximo sábado, no Pavilhão João Rocha, em Lisboa.