skipToMain
Siga-nos:

Habemus Presidente

Ricardo Freitas
\ segunda-feira, março 07, 2022
© Direitos reservados
Candidatar-se aos órgãos sociais do Vitória SC é um ato de grande coragem. Não sou dos que propalam que só se candidata quem procura um “tacho”, a menos que sejam apreciadores de “tachos” masoquistas.

Caros leitores, passadas menos de 48 horas após sabermos o resultado das eleições para os novos órgãos sociais do Vitória SC para o triénio 2022-2025 podemos afirmar que os sócios do Vitória voltaram a demonstrar a fibra de que são feitos.

Conforme escrevi no último artigo de opinião, e independentemente das preferências que os sócios podiam ter por cada um dos candidatos, os sócios António Miguel Cardoso, Alex Costa e Miguel Pinto Lisboa mereciam o nosso respeito e apreço pela coragem em se candidatarem. Sim, um sócio candidatar-se aos órgãos sociais do Vitória SC é um ato de grande coragem, porque não sou dos que propalam que só se candidata quem procura um “tacho”, a menos que sejam apreciadores de “tachos” masoquistas.

Se ser presidente do Vitória é claramente um motivo de grande orgulho e enorme prestígio, acarreta ao mesmo tempo uma descomunal responsabilidade e exposição mediática nem sempre justa e aprazível em termos pessoais.

Relativamente às eleições, não considero que as listas tivessem sido claramente elucidativas sobre como colocariam em prática as medidas anunciadas para atingirem os objetivos que constatavam nos seus programas. Por outro lado, avaliando os programas, as entrevistas e debates fiquei com a sensação que era mais o que as aproximava que o que as separava.

E se é verdade que este processo eleitoral começou bastante mal, envergonhando inclusive o universo Vitoriano, também não é menos verdade que terminou de forma exemplar sendo motivo de orgulho para todos os sócios Vitorianos. Esta minha convicção é sustentada por vários fatores:

Mais de 67% dos 9.780 associados, e que cumpriam os requisitos de sócios efetivos para este ato, exerceram o seu direito de voto e demonstraram a razão deste ser um clube ímpar no desporto nacional;

Após um primeiro debate a três francamente mau e pouco prestigiante, a forma como corrigiram a sua postura fez com que os dois últimos debates decorressem de uma forma digna, enobrecendo os pergaminhos do clube;

O discurso de cada um dos três candidatos após o anúncio dos resultados revelou elevação, espírito democrático entre eles e respeito pelo Vitória e por todos os seus associados;

Por último, o ato nobre e que deve ser realçado do presidente cessante Miguel Pinto Lisboa convidando os outros dois candidatos, António Miguel Cardoso (entretanto eleito novo presidente) e Alex Costa para estarem ontem no camarote presidencial e verem juntos o jogo contra o Famalicão.

António Miguel Cardoso, que é hoje o presidente de todos os Vitorianos, está de parabéns pela vitória inequívoca alcançada nestas eleições. O que todos os Vitorianos desejam é que tenha muito sucesso, pois o seu sucesso será sinónimo de muitos êxitos do nosso clube.

Saudações Vitorianas e Viva o Vitória!