skipToMain
Siga-nos:

Uma vez entre os "grandes"

Diogo Teixeira
\ sexta-feira, janeiro 28, 2022
© Direitos reservados
São as experiências e oportunidades que levam os jovens a motivarem-se no seu caminho, permitindo que continuem a sonhar com a ambição de serem “grandes”.

Decorria o ano de 2017, quando ainda com 14 anos, decidi por curiosidade tirar o curso de árbitro, desde então tenho passado por um processo de constante evolução, inclusive participei 3 ENAJ (Encontros Nacionais do Árbitro Jovem), que acontecem uma vez por ano, onde todos os árbitros jovens do país se reúnem, com várias figuras do futebol e da arbitragem. Em todos os encontros são realizados testes e os melhores classificados são premiados com a presença nas diversas finais do futebol português.

Foi no ano de 2019, no meu último ENAJ, que obtive o segundo lugar, entre os mais de 100 árbitros presentes, conseguindo assim a nomeação para acompanhar a equipa de arbitragem na final da Taça de Portugal desse ano. Apresentava-me satisfeito por ver que todo o meu esforço e dedicação tinha dado frutos. Entretanto, com o aparecimento da pandemia e a faltar cerca de um mês para o grande dia, recebi a notícia que mais temia, a presença dos árbitros jovens na final tinha sido cancelada devido à propagação do vírus.

O tempo foi passando, fiz 18 anos, deixei de ser árbitro jovem, foquei-me em novos objetivos e continuei a trabalhar neles dia após dia. Foi então que há pouco menos de um mês, recebi a nomeação para acompanhar a equipa de arbitragem na 1ªMeia Final da Final Four da Taça da Liga. Fiquei bastante surpreendido, pois com o tempo pensava que o prémio tinha caído no esquecimento, mas afinal estava bem ali, a umas semanas de distância. 

O tempo passou a voar e já com tudo planeado fui com a equipa de arbitragem para o hotel em Leiria, na véspera do jogo, onde a equipa de arbitragem fez o seu estágio, onde estudamos o jogo, as equipas e claro, convivemos como uma equipa. Sem dúvida, a parte do convívio a par do jogo, foi uma das coisas que mais me marcou nestes dois dias.

Foi toda uma nova experiência, a noite no hotel antes do jogo, as viagens para o estádio, as reuniões com as duas equipas e com todas as entidades presentes no jogo, a vistoria ao relvado, a chegada ao campo com escolta policial, o aquecimento, a chegada das equipas, a entrada num estádio com quase 10000 pessoas, a atmosfera envolvente ao jogo, tudo em si foi uma experiência magnifica, e totalmente diferente da realidade a que nós, jovens árbitros, estamos habituados no futebol distrital. Ainda me recordo das palavras do Árbitro Assistente Bruno Jesus que bem tinha razão naquilo que dizia: “Aproveita ao máximo este dia, pois quando deres por ela, o dia já passou e vais ver que não vais ter aproveitado metade daquilo que podias”, e foi com essa mesma sensação que fiquei, quando já de regresso a casa, relembrei todos os momentos daqueles dois dias que tinham passado.

Após alguns dias o sentimento que prevalece é o de gratidão, pela oportunidade que me foi dada, de poder ter vivido presencialmente, aquilo que todos nós, jovens árbitros, ambicionamos viver um dia. Queria deixar um agradecimento especial á equipa de arbitragem do jogo entre o Benfica e o Boavista, ao árbitro Fábio Veríssimo, aos assistentes Pedro Martins e Bruno Jesus, e ao 4ºÁrbitro Hugo Silva, pois foram exemplares ao longo dos dois dias, e com eles consegui retirar muitas lições, tanto para usar no meu futuro na arbitragem como na minha vida. Foi sem dúvida uma experiência que ficará marcada na minha memória para sempre, e que servirá de motivação para continuar a progredir enquanto árbitro para um dia poder estar presente nestes grandes palcos.